Repensando o espaço escolar

O espaço escolar precisa ser repensado nos diferentes níveis de escolaridade. Da educação infantil ao ensino médio, da graduação à pós-graduação. Essa temática tem levado pesquisadores a desenvolverem pesquisas nas mais diferentes áreas.

Neste final de semana, depare-me com a leitura de um projeto para uma banca de qualificação em nível de doutorado na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, e é muito importante perceber esse movimento de profissionais que, para repensar sua área de atuação, mergulham em pesquisa para compreensão do contexto e, dessa forma, colaboram para um repensar dos espaços escolares ancorados em pesquisa séria e profunda.

Para auxiliar nessa reflexão, gostaria de compartilhar algumas referências:

  1. Ensino Híbrido: uma Inovação Disruptiva? Uma introdução à teoria dos híbridos

participei da revisão da tradução desse material, e recomendo para quem quer ter uma ideia do que significa a inovação disruptiva de acordo com Clayton Christensen.

2. Arquitetônica social escolar: um estudo sócio, histórico e cultural sobre as relações de poder e controle nos espaços, artefatos e discursos

Tese do pesquisador Adolfo Tanzi Neto, com quem co-organizei o livro Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação, e que tem como foco “Por meio do estudo de três escolas distintas da rede pública brasileira de ensino, uma mais tradicional, outra com projetos experimentais de envolvimento dos alunos e período integral e outra com princípios democráticos sem paredes, aulas, seriação ou classificação, a pesquisa busca responder como as relações de poder e controle nos posicionamentos sociais e nos artefatos discursivos de mediação constituem-se em um espaço escolar específico e, assim, influenciam na formação da consciência dos seus envolvidos.”

3. O que revela o espaço escolar

“A Editora Moderna, reconhecendo o potencial e o alcance da obra,
uniu-se à Comunidade Educativa CEDAC no desafio de publicar uma
nova edição para distribuição gratuita, com o apoio da Fundação Santillana.
O material foi revisitado e o texto e as ilustrações, revigorados.
Assim, o livro ganhou novas abordagens e agora inclui novos espaços.” Vale a leitura!!

4. Inova escola: práticas para quem quer inovar na educação

“A publicação apresenta sugestões, orientações e cases de transformações em escolas nacionais e internacionais, incluindo as que integram projetos como “Escolas que Inovam” e “Escolas Rurais Conectadas”. É uma produção conjunta da Fundação Telefônica Vivo e do Instituto Natura, em parceria com o LABi – Laboratório de Inovação Educacional. Durante a leitura, o leitor é levado a um universo de iniciativas em instituições que decidiram começar com ações simples para promover mudanças no ambiente escolar.”

5. Destino educação: escolas inovadoras

“Produzido pelo Canal Futura Futura em parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI), o programa Destino: Educação – Escolas Inovadoras mostra iniciativas educacionais transformadoras em doze instituições de ensino espalhadas pelo mundo.”

6. CIEB Notas técnicas: “Criação de espaços de inovação nas escolas: repensando o laboratório de informática”

“O laboratório de informática continua sendo o espaço que concentra a maior parte dos computadores para fins pedagógicos, dentro das escolas brasileiras. Entretanto, o modelo de organização ainda empregado para estes ambientes não efetiva o potencial impacto da tecnologia na aprendizagem, e também não leva em conta as recentes mudanças na sociedade trazidas pela ubiquidade das tecnologias móveis e da internet. Nesta Nota Técnica, o CIEB apresenta o resultado de uma sistematização de tendências internacionais na criação de espaços inovadores de aprendizagem permeados por tecnologia que permitam aos alunos desenvolver suas capacidades e autonomia.”

6. Espaços flexíveis para aprendizagem ativa

O vídeo apresenta mobiliários que possibilitam uma mobilidade em salas de aula com foco em metodologias ativas.

7. Espaço de Formação e Experimentação em Tecnologias para Professores

“O EfeX, Espaço de Formação e Experimentação em Tecnologias para Professores, teve seu conceito idealizado e projetado pelo Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) a partir de uma ampla pesquisa sobre centros de referência internacionais na formação de professores para inovação educacional. ”

8. Flexspace

Conheci no projeto de qualificação da Roberta Squaiella e achei muito interessante!

“FLEXspace is the only open resource that brings together practitioners, experts and decision makers in higher education, K-12, libraries, and museums who are focused on campus planning and facilities, learning technology, A/V systems integration, instructional design, teaching, and research.”

Espero que aproveitem a leitura e compartilhem suas reflexões. Adoraria ouvi-las!!

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s