Com diálogo e envolvimento de educadores e familiares, ensino híbrido se torna sinônimo de inovação em escola de Guarulhos (SP)

No processo de retorno às aulas presenciais, Colégio Carbonell acredita que mudanças nas estratégias de ensino são fundamentais na adaptação ao contexto da pandemia da COVID-19

[Reportagem publicada originalmente no site da Tríade Educacional]

Foi relendo o Projeto Político Pedagógico do Colégio Carbonell, em Guarulhos (SP), que a mantenedora Andrea Lourenço e demais educadores chegaram à conclusão de que a implementação das estratégias de ensino híbrido é o melhor caminho para o retorno às aulas no contexto da pandemia da COVID-19.

“Nos deparamos com um trecho que nos ajudou a buscar outra forma de retomar as aulas em 2021: É nossa responsabilidade como educadores e como cidadãos trabalhar com inteligência para ajudar o país a superar o atraso histórico no campo da educação.  E, para isso, temos que compreender que a escola terá de mudar porque o mundo mudou. O aluno não pode ser mais, como foi no passado recente, um repositório de conhecimentos. A barreira a ser transposta está muito mais alta. O aluno terá que aprender a pensar, aprender a aprender. Pois o mundo que ele irá encontrar, ao concluir os estudos, vai ser muito diferente do que aquele que havia no início da sua caminhada como estudante. Novas profissões terão surgido. E outras atividades tradicionais terão sido esquecidas. A escola não pode mais correr o risco de formar alunos em áreas que talvez não existam no futuro Assim, entendemos que o ensino híbrido seria a melhor alternativa para esse retorno.  Feita a escolha, partimos para nos aprofundar ainda mais nos estudos e preparar os professores”, explica Andrea.

Colégio Carbonell conta com cerca de 700 alunos, da Educação Infantil ao Médio, e desde 2009 tem Andrea Lourenço à frente. A seguir a educadora explica como o ensino híbrido se mostrou uma alternativa em tempos de incertezas e restrições. Ele foi aplicado até meados de março de 2021, quando a volta gradativa dos estudantes estava autorizada.

Até a publicação desta reportagem, a escola conta com 100% de ensino remoto por orientação das autoridades sanitárias para o Estado de São Paulo, mas o Carbonell mantém o desafio de retornar ao presencial, assim que possível, nos moldes em que iniciou o ano letivo.

Desafios e propostas

“Diante das incertezas e restrições, entrei em contato com Lilian Bacich, líder pedagógica da Tríade, para uma conversa com nossos professores sobre as estratégias do ensino híbrido. Naquele momento tive a confirmação: o ensino híbrido seria a nossa escolha, mesmo com as adaptações que o momento nos impõe, e também após a pandemia.

Se pensarmos no mundo dinâmico em que vivemos, a forma de ensinar pouco ou nada se afetou nos últimos anos. Neste sentido, a pandemia acabou trazendo grandes transformações. Entendemos que, para superarmos esse momento, é necessário muito estudo e disposição, e acreditamos que a mudança é fundamental para a sobrevivência das instituições de ensino.

Os educadores foram guerreiros em 2020 e continuam com grandes desafios em 2021. Não é fácil mudar as estratégias de uma forma tão rápida. São anos de uma prática única, entrando na sala e trabalhando sobre um tablado. São anos de aulas expositivas que deram muito certo.

Assim, dialogamos com gestores de escolas que puderam retornar às aulas ainda em 2020. Conhecer as dificuldades que tiveram nos ajudou a entender que a simples transmissão de aulas era algo que não queríamos mais fazer. O Carbonell é um colégio inquieto e preocupado em preparar os estudantes para o mundo. Como então poderíamos continuar ‘dando aulas’ e acreditando que o aluno continuaria passivo?”

Na prática

“Em fevereiro de 2021, quando estava autorizado o retorno gradativo às aulas, iniciamos com um grupo de estudantes online e um grupo presencial. Além disso, dividimos nosso bimestre em fases para melhor organizar os tempos e as nossas análises sobre o processo de implantação.

Pedimos aos professores que criassem roteiros de estudos para que os alunos que estão em casa pudessem estudar no que chamamos ‘modo autônomo’. Organizamos uma agenda com momentos de autonomia e momentos presenciais com todos os educadores. Nossa intenção era a de que quando o estudante estivesse com o professor, aproveitasse intensamente.

O retorno dos alunos chegou repleto de desafios. Para que tudo acontecesse da melhor forma, preparamos a equipe de professores, apresentamos a proposta aos pais, explicamos aos alunos e acompanhamos o planejamento. Ainda assim, a ansiedade foi inevitável, com familiares e alunos emocionados, e até mesmo sem dormir na noite anterior ao retorno”.

Andrea Lourenço

Recomeço, adaptação e aprimoramento

“Mantivemos em fevereiro um trabalho intenso de conversas individuais, reuniões por segmento, por série e grupos. Houve certa resistência das famílias no princípio, porque achavam que as crianças não iriam se adaptar, mas elas seguiram todos os protocolos de saúde e progrediram de forma autônoma e muito responsável. Além disso, os estudantes perceberam o quão rico é estar com o professor depois de já ter estudado, lido e feito exercícios.

Entendemos que adotamos um modelo distinto da prática usual. O diferente gera ansiedade e insegurança, mas também contribui para o     desenvolvimento de muitas habilidades importantes. O aprendizado ativo precisa acontecer nas escolas, com o foco no estudante, tendo o professor como mediador e orientador do processo de aprendizagem.

Percebemos a importância de adaptarmos o trabalho aos poucos, ouvindo alunos e famílias, mas percebemos uma maior compreensão que o modelo anterior à pandemia, que tradicionalmente tem o professor no centro do processo, não cabe mais. Temos muito para aprender e melhorar, mas os resultados foram muito satisfatórios”.

O Colégio Carbonell participou da formação de professores em 2021, desenvolvida pela Tríade Educacional. Para conhecer o trabalho que desenvolvemos para as escolas privadas, entre em contato conosco por email (contato@triade.me) e para saber mais sobre os cursos da Tríade, acesse www.triade.me/cursos

Publicado por Lilian Bacich

Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (USP), Mestre em Educação (PUC), Pedagoga (USP) e Bióloga (Mackenzie), professora de Ensino Fundamental, Ensino Médio. Coordenadora de curso de Pós-graduação em Metodologias ativas no Instituto Singularidades. Organizadora dos livros: Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação; Metodologias ativas para uma educação inovadora. Cofundadora da Tríade Educacional. www.triade.me Contato: bacichlilian@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: