Oficinas levam abordagem STEAM à rede municipal de Piracicaba

Atividades com alunos e professores mostram a importância dos desafios práticos para o protagonismo estudantil

Um projeto piloto da ArcelorMittal em parceria com a Tríade Educacional está levando uma formação em STEAM para quase 600 professores da rede municipal de educação de Piracicaba, município a 160 km de São Paulo. STEAM, um acrônimo em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática, é uma abordagem educacional que propõe uma forma de interagir com os conhecimentos de forma prática, mão na massa, e interdisciplinar, conectado com o contexto dos estudantes. 

A formação dos docentes está em curso desde março. Em agosto, os diretores da Tríade foram pessoalmente a Piracicaba, onde visitaram diversas escolas e lideraram oficinas. “Realizamos duas oficinas com estudantes, em escolas diferentes, para turmas do segundo e do quinto ano do ensino fundamental. O objetivo foi trazer uma vivência sobre a proposta de desafios STEAM”, conta Leandro Holanda, cofundador e diretor da Tríade. 

Partindo de questões e problemas próximos dos estudantes, um desafio tem o potencial de fazer com que as crianças e jovens mobilizem conhecimentos de várias áreas para elaborar uma resposta criativa e coletiva. “As oficinas promovem a ideia de se olhar na escola para a engenharia, para a resolução de problemas. Em uma das oficinas, os alunos desenvolveram armadilhas para o mosquito da dengue”, cita Holanda. As oficinas aconteceram nas escolas municipais Prof.ª Elisabeth Consolmagno Cruz e Padre Pedro Baron.

As oficinas usaram alguns elementos simples de eletrônica, como luzes de led, pequenos motores e circuitos, junto com material de papelaria simples e sucata. Os estudantes precisaram acionar vários conhecimentos na resolução do problema, ao mesmo tempo em que puderam se divertir com suas construções.
 

Estudantes da EM Padre Pedro Baron criam protótipos de armadilha para mosquito da dengue.

Além das atividades voltadas diretamente aos alunos, Leandro Holanda e Lilian Bacich, também cofundadora da Tríade, organizaram oficinas com professores, acompanharam algumas reuniões de HTPC (horário de trabalho pedagógico coletivo) e fizeram uma reunião com os gestores das escolas da rede municipal. 

Os encontros nas HTPC aconteceram nas escolas municipais Maria Benedicta Pereira Penezzi, Joaquim Carlos Alexandrino de Souza, Profª Antonia Benedita Eugênio e Prof.ª Elisabeth Consolmagno Cruz e buscaram apoiar os docentes na elaboração de seus projetos.

Foi muito bom poder interagir com um grupo de educadores, nas escolas visitadas, que identificam o potencial do STEAM para atingir os objetivos de aprendizagem que fazem parte do currículo da rede, não tornando a proposta como uma ‘tarefa’ a mais, mas como uma forma de tornar mais significativa a aprendizagem, comenta Bacich.

Equipe docente, coordenadora e diretora da E.M. Prof.ª Elisabeth Consolmagno Cruz participam de HTPC com Lilian Bacich

O encontro com todos os coordenadores da rede teve objetivo de enfatizar o papel de protagonismo que os estudantes precisam ter. Por meio de uma atividade mão na massa, mostramos o que é um protótipo num projeto STEAM e como ele pode estimular a criatividade e a colaboração entre os estudantes. Nosso olhar é que os produtos finais tenham muito a mão dos estudantes, que eles realmente possam propor e desenvolver suas ideias, afirma Holanda.

A professora Herika Lucia Machado, coordenadora na rede de Piracicaba, acredita que os encontros levaram a novos aprendizados. “Nós temos a tendência de já pensar no produto final, então fazemos alguma proposta para chegar nisso. Mas precisamos entender que existe um processo – e que esse produto final pode ser diferente. Foi uma experiência maravilhosa e os professores adoraram”, disse. 

Nos dias 20 e 21 de outubro, a rede de Piracicaba vai ter sua Jornada Pedagógica, em que os professores terão a oportunidade de compartilhar os projetos STEAM que estão realizando. 

 

Grande alcance 

Embora nem todos os docentes estejam participando das formações, Herika explica que os aprendizados acabam sendo propagados para toda a rede. Diz ainda que muitos docentes conseguem incorporar algumas das “lições” ainda que prefiram não aderir completamente à proposta STEAM. 

Os professores perceberam, mesmo aqueles que se sentem mais à vontade em aulas tradicionais expositivas, que não é uma coisa tão extraordinária, tão fora da casinha. Podemos trazer o pensamento STEAM para trabalhar alguns conteúdos e colocar a criança como protagonista. Os encontros serviram para cada um enxergar que transformar suas aulas é possível!, afirma Herika.

A iniciativa de formação docente em Piracicaba faz parte de um projeto maior, a Liga STEAM, um movimento de alcance nacional que vai envolver 10 mil professores e 250 mil estudantes até o final deste ano. O objetivo da liga é formar e conectar uma rede de educadores que sejam referência em STEAM em nosso país!  

Repostagem de matéria publicada em https://ligasteam.com.br/blog/oficinas-levam-abordagem-steam-a-rede-municipal-de-piracicaba

Publicado por Lilian Bacich

Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (USP), Mestre em Educação (PUC), Pedagoga (USP) e Bióloga (Mackenzie), professora de Ensino Fundamental, Ensino Médio. Coordenadora de curso de Pós-graduação em Metodologias ativas no Instituto Singularidades. Organizadora dos livros: Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação; Metodologias ativas para uma educação inovadora. Cofundadora da Tríade Educacional. www.triade.me Contato: bacichlilian@gmail.com

Um comentário em “Oficinas levam abordagem STEAM à rede municipal de Piracicaba

  1. É impressionante o comprometimento de uma Educação de Qualidade nas cidades do interior do Brasil! Principalmente nas parcerias que elas fazem com Institutos de Qualidade.
    Infelizmente, nas redes públicas de algumas capitais brasileiras, tal trabalho ora é defasado ( por falta de profissionais, cursos de aperfeiçoamento, materiais e infraestruturas ) ora é pouco divulgado quando acontece.
    Saliento que o ensejo pela aprendizagem deve ser aguçado na tenra infância (Educação Infantil) e ser aprimorado nas demais fases educacionais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: